quinta-feira, 8 de março de 2018

Huck vendeu mansão para Joesley por dobro do preço de mercado

O apresentador Luciano Huck vendeu uma mansão cinematográfica para os irmãos Joesley e Wesley Batista pelo dobro do valor do mercado. A transação aconteceu em 2013 e envolveu a propriedade do apresentador na Ilha das Palmeiras, em Angra dos Reis, em uma região considerada refúgio de milionários e celebridades.

O imóvel foi comprado em 2001, quando o apresentador pagou R$ 550 mil no terreno — valor que, 12 anos mais tarde, no ato da venda para os irmãos Batista, correspondia a cerca de R$ 1,4 milhão. Com a construção da mansão de quase 900 metros quadrados, a propriedade valorizou.

Corretores de imóveis especializados no mercado de luxo consultados pelo R7 sob a condição de anonimato estimam que a mansão esteja avaliada entre R$ 10 milhões e R$ 15 milhões. Huck vendeu o imóvel cinco anos atrás por R$ 26,5 milhões — ou R$ 33,4 milhões em janeiro de 2018. Ou seja, o lucro do apresentador na transação com os irmãos Batista pode ter chegado ao dobro do valor de mercado.

Joesley e Wesley Batista são os donos da J&F, controladora da JBS, uma das maiores produtoras de proteína animal do mundo. No ano passado, os dois assinaram acordo de delação premiada com a Procuradoria-Geral da República e denunciaram supostos esquemas de corrupção envolvendo o presidente Michel Temer e mais de uma centena de políticos. Os irmãos Batista acabaram presos em setembro por uso de informações privilegiadas para ganhar dinheiro no mercado financeiro. Wesley foi solto no mês passado.

Luciano Huck é apresentador na TV Globo e era potencial candidato à Presidência da República, mas desistiu da candidatura para a eleição deste ano em fevereiro, logo depois de ter vindo a público que ele havia comprado um jatinho com empréstimo do BNDES.

Leia mais: Dinheiro público financiou 85% do jatinho de Luciano Huck

O imóvel que Huck vendeu aos Batista é de altíssimo padrão. A mansão é dividida em módulos. Há um espaço principal social que se destaca na paisagem quando visto do mar. A estrutura de metal e vidro é cercada por uma piscina de borda infinita que se confunde com a linha do oceano. Três bangalôs para os hóspedes são interligados por passarelas e têm acesso direto à praia. Os quartos têm até “ofurô” com vista para o mar.

Transação

Todo este glamour e requinte foi vendido em 2013 para a empresa ZMF Participações, dos irmãos Batista, em um negócio vantajoso para o apresentador.

Os documentos foram registrados em um cartório em uma pequena cidade na Região Metropolitana de São Paulo.



Escritura da propriedade de 18 mil metros quadrados vendida por Luciano HuckReprodução

Antes de fechar definitivamente a transação, foi feito um “instrumento particular” sem registro em cartório no qual Huck se comprometeu a vender a mansão de Angra por R$ R$ 26,5 milhões.

Esta espécie de “pré-venda” consta da escritura registrada em cartório, quando a transação foi concluída e o paraíso particular do apresentador passou oficialmente para as mãos dos irmãos Batista.



Escritura mostra também a compradora, ZMF Participações, empresa dos irmãos BatistaReprodução

Por razões ainda desconhecidas, em março de 2015, Huck e os empresários registraram uma escritura pública apenas para desmentir a existência daquele primeiro documento não registrado em cartório, quando combinaram a transação da Ilha das Palmeiras.


Seis dias depois de finalizar a compra da mansão, os novos donos compraram o terreno vizinho de 44.600 metros quadrados por cerca de R$ 2,8 milhões de reais.

Piscinão de luxo

A mansão que agora pertence aos Batista rendeu duas ações judiciais contra o apresentador Luciano Huck por supostamente causar problemas ambientais.

No ano passado, a Justiça Federal de Angra dos Reis determinou que Huck pagasse uma indenização por danos morais coletivos por ter colocado um cerco de boias que bloqueavam uma faixa de mar em frente à ilha.



Trecho da ação do MPFReprodução

Em 2010, fiscalização do Ibama havia encontrado uma linha de 150 metros de boias paralelas à mansão do Huck isolando praticamente toda a enseada do Saco do Petisco de maneira ilegal e sem autorização.

Huck afirmou que não tinha licença, mas pretendia iniciar projeto de maricultura no local. O argumento não convenceu o MPF. “Contudo, pela posição das boias é fácil perceber que o réu possui pretensões dominais sobre os aproximados 15 mil metros quadrados de mar cercados.”

O apresentador foi condenado em 2011, mas entrou com uma série de recursos que foram negados pela Justiça. A sentença definitiva foi julgada em 1º de agosto de 2017. Huck pagou a multa corrigida no valor de R$ 58.548,95.

Praia artifical

A outra ação civil pública tramitou na 2ª Vara Cível de Angra dos Reis de 2007 a 2012. A Prefeitura de Angra dos Reis processou o apresentador depois de descobrir que foram feitas obras irregulares na mansão, incluindo a construção de um muro para criação de uma praia artificial.

No decorrer da ação, o ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral emitiu decreto que alterou a lei ambiental e de certa forma favoreceu o apresentador. Na época, Huck foi defendido pelo escritório da mulher do governador, Adriana Ancelmo.

O juiz Ivan Pereira Mirancos Junior extinguiu o processo sem julgamento em 12 de julho de 2012. Na sentença, o magistrado menciona a celebração de um termo de ajustamento de conduta entre o apresentador e a prefeitura.

Outro lado

A assessoria de Wesley Batista e Joesley Batista disse que eles não iriam comentar o assunto. A assessoria de Luciano Huck não se manifestou até o momento.